sexta-feira, 23 de maio de 2008

o amanhã e o medo

amanhã vou acordar desta ressaca que tenho vivido desde o último post. naquele dia, saber o resultado da punção lombar foi o auge, o pico. depois, veio uma descompressão letárgica que não me deixou espaço para escrever mais aqui. vejo todos os dias as visitas a subirem e o peso em mim a crescer. o peso do egoísmo de estar a acompanhar o desenvolvimento do gaspar pós tratamento e não estar a partilhá-lo com quem faz aquele número de visitas crescer. desculpem ...
começo por aí e passo depois para o amanhã.
desde aquele dia em que fez o último tratamento (9 jan_08) e depois de mais uns com a má disposição habitual, melhores dias vieram como sempre costumava acontecer. aquela sensação vivida durante um ano, onde sabíamos que aquele crescendo de recuperação que se seguia nas 4 semanas de descanso entre tratamentos iria fazer voltar tudo atrás, deixou de estar presente. até o facto de não voltarmos ao ipo com a cadência a que já estávamos habituados, passou a ser estranho, como se tivéssemos abandonado uma casa, um espaço com todas as pessoas que
passaram pela nossa vida e nós pela delas. um desligar abrupto num clique para tentar voltar à normalidade noutro clique. e a pouco e pouco entrámos num novo ciclo. o gaspar passou as tais 4 semanas e continuou em frente sempre com aquele espírito de líder. vai todos os dias para a escola, começou a fazer fisioterapia todos os dias com o manel que é um fisioterapeuta bestial e que leva bem o gaspar na monotonia repetitiva dos exercícios. do mano gustavo, comentávamos no outro dia eu e a ana, que não sabíamos como seria sem ele. continua a ser um elemento precioso neste novo ciclo.
os dias passam sempre em sentido crescente e amanhã vai ser mais um dia, mas de retorno ao que temos estado afastados. o gaspar vai fazer nova ressonância magnética e eu, por mais positivo que seja, não consigo deixar de sentir medo. tenho muito medo e fico nervoso com a chegada do exame. dá-me nós no estômago, durmo mal, fico ansioso, suspiro mais vezes do que é normal suspirar na vida. só consigo acreditar que está, vai estar e continuar tudo bem, mas não consigo deixar de ter medo. agarro-me ao gaspar em busca de tranquilidade, ao trabalho que distrai, ao gustavo que precisa de mais atenção, à ana que me sossega, ao tempo em que ponho o nariz de palhaço, a cabeleira e vou contar histórias aos meninos, ... , mas não deixo de ter este medo incontrolável e avassalador.
amanhã é mais um dia, mais um e eu vou confiante, mas qual lapa, levo sempre um medo comigo.
(este texto foi começado antes do dia e acabado depois do dia, onde soubémos da ressonância que continua tudo limpo. mais uma etapa!)
:)

5 comentários:

analuE disse...

Ao meu maridão, amigo e a um grande PAI deixo um beijo de admiração e orgulho por ti.

EU disse...

Que bom ...
Beijos grandes ao Gaspar.

Anónimo disse...

De novo procuro notícias...

Voltarei a visitar-vos, na esperança de encontrar boas notícias e fico feliz sempre que as leio.
Obrigada pela partilha e pela consideração, não se preocupe os visitantes entendem.

Filipe Gomes disse...

Vi a vossa história, mexeu muito comigo. Espero que tudo corra bem ao Gaspar. Que sejam uma família muito feliz, merecem. Um grande abraço.

Felicidades.
Fico a torcer pelo Gaspar.

Força miúdo lindo.

Anónimo disse...

olá...
hoje enquanto estava por casa com a minha filha mais nova que tem apenas 5 anos,vi a historia do gaspar na tv... nao é preciso ser mãe para se ficar sensibilizada,de repente lembrei-me de um filme que é baseado numa historia veridica...
gostava de vos deixar o titulo do mesmo"filme" A BORBOLETA AZUL este é o nome do filme,ha parte do carinho que aqui vos deposito é um pequeno gesto que vos quero deixar...
ao pequeno heroi GASPAR deixo um abraço de ternura.