quinta-feira, 6 de setembro de 2007

lembro-me ...

antes do gaspar começar a quimioterapia tiveram uma conversa connosco no sentido de nos explicar o que era, o processo, coisas que acontecem durante, bem como alguns efeitos secundários e cuidados a ter. não foi nenhum conselho médico, apenas uma consulta normal. lembro-me de estar nervoso a querer lembrar-me de perguntas que tinha a sensação de querer perguntar. lembro-me te ter a sensação de me estarem a dizer pouco para quem ia entrar num processo daqueles (já tinha acontecido com a radioterapia).lembro-me de ter falado com uns senhores, pais de um menino que também combatia um meduloblastoma, de comentarem um efeito secundário do cisplatino (uma das drogas que o gaspar leva) que não é dos mais usuais (10/29%), que acontece com a continuidade da toma e tem a ver com niveis de toxicidade, a perda de audição. lembro-me de abordar o assunto e de ouvir, ah sim é um dos possíveis efeitos mas que não acontece sempre, embora em crianças..., mas que vai ser monitorizado durante o tratamento... e assim, lá veio um pouco mais de informação.

"The Cisplatin side effects and their severity depend on how much Cisplatin is given. In other words, high doses may produce more severe side effects."
"High frequency hearing loss. Ringing in the ears."
"With high dose therapy hearing tests may be ordered as baseline and monitored at times during therapy."
in chemocare.com.


chegámos ao final do quinto ciclo. até hoje ninguém nos perguntou alguma coisa que fosse, relacionada com o assunto e que até aí tinha sido eu a abordar. notando a diminuição de audição através de um assobio especial dos évora veiga (quem nos conhece sabe do que falo, uma alta frequência), transmitiu-se a quem de direito (que se calhar não era quem), que nos encaminhou para mais uma especialidade, otorrino. mais uma a acrescentar.
mesmo assim pode ter passado algum tempo que poderia ter sido útil na antecipação por parte dos médicos para mandarem fazer um audiograma, que poderia ter tido como consequência o ajuste da dose. não sei sequer se isto faz algum sentido, falar à frente é fácil, mas ... só estou um pouco irritado com estes processos, de sentir que por vezes a falta de comunicação entre os médicos não ajuda o gaspar, de perceber esta contraditoriedade, da cura que deixa outro mal.

lembro-me de sentir que não nos passam as coisas como deve ser. o gaspar pode lembrar-se para sempre! eu lembrar-me-ei também da dra graça caldeira, audiologista do hospital santa maria (hsm) que fez todos os testes ao gaspar e nos passou toda a informação, com ar preocupado em nos deixar informados e descansados dentro do possível. e agora há mais um especialista a acrecentar para mais tarde lembrar.

não quero que este texto reflicta uma procura de acusados, antes pelo contrário, quero mais é que as memórias futuras possam reflectir todas as boas opções tomadas em prole do gaspar (e já são muitas).

SIGA GASPAR! o mundo espera por ti :)

4 comentários:

Zita Fonseca disse...

"Não somos heróis (...) aqui não há opções". É tão verdade, isto. Disse-o eu tantas vezes quando me chamavam "mulher de armas" ou perguntavam: "como é que aguentas?".
Aguentando porque não há alternativa; aguentando porque a força nos vem sabe-se lá de onde. Depois do terror porque o mundo nos caiu em cima vem-nos uma raiva tão grande que gritamos em silêncio ao maldito cancro: "não mo vais levar!!"
E não levou. A luta foi relativamente rápida mas foi dura e ele cá está. 18 anos acabados de fazer e cheios de planos para o futuro. Ele foi um lutador, como o Gaspar.
Um grande, grande abraço para todos.

célia disse...

É fantástico ver a vossa força, a vossa coragem.. e mais fantástico é chegar a casa e ter noticias E FOTOS do nosso Gaspar, sem ter de esperar pela próxima consulta :) He´s the man...

Priscila disse...

OLÁ, É INCRIVEL VER A HISTÓRIA DO GASPAR, POIS É EXATAMENTO E O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM O MEU SOBRINHO FELIPE DE 1 ANO E 10 MESES, PARACE QUE ESTOU LENDO A HISTÓRIA DELE, SÓ QUE MEU SOBRINHO AINDA NÃO FEZ A CIRURGIA PARA COLOCAÇÃO DA VALVULA, VAI FAZER NO FINAL DO MÊS, O GASPAR PELO QUE LI É UM VERDADEIRO HERÓI, GOSTARIA MUITO DE CONVERSAR MAIS COM O SR.PARA TROCAR ALGUMAS IDÉIAS, POIS SOMOS DO INTERIOR E AS VEZES PARECE QUE SABEMOS MUITO POUCO SOBRE TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO E VAI ACONTECER COM E FELIPE, SE PUDER POR FAVOR ENTRE EM CONTATO, OU ME DEIXE UM EMAIL PARA CONTATO.
NUNCA IMAGINEI QUE FOSSE ENCONTRAR ALGUÉM COM UMA HISTÓRIA TÃO PARECIDA.

Francisco Pereira disse...

Muitos Parabéns Gaspar pela tua força e história de vida! Eu sou o Francisco Pereira e tenho 41 anos de idade, e também estou a ser tratado no IPO de Lisboa pelo Sr. Dr. Duarte Salgado que sempre nos recebe com aquele sorriso e simpatia que nos faz alegrar e esquecer os problemas de que passamos! Eu fui operado já por duas vezes a um Tumor Cerebral e como seqüelas dessas intervenções cirurgicas fiquei com epilépsia!! Graças ao Sr. Dr. Duarte Salgado a quem devo a minha vida ainda cá estou apesar de no ano 2000 quando fui operado pela primeira vez, disseram-me que só tinha 5 anos de vida! Em 2002 entrei para o IPO e fui lá operado e apear da epilépsia ainda cá estou!! E são histórias de vida como a tua que nos fazem querer continuar a lutar!! Continuação das tuas melhoras é o meu desejo!!